Muito além do exercício físico

Muito além do exercício físico

Desde pequena a dança sempre foi uma paixão. Comecei a fazer ballet por volta dos seis anos, mas o ritmo calmo e a música clássica logo me desestimularam. Eu queria algo mais agitado. Foi aí que eu descobri o jazz, estilo de dança que tem como base o ballet clássico e moderno, mas com muito mais liberdade nos movimentos. Fiz jazz dos sete aos 14 e acabei parando na época por incompatibilidade de horários e até mesmo interesses. Fui parar no teatro e depois a vida acabou me levando pra academia, onde passei a “puxar ferro” sem a menor vontade, confesso. Acho que por isso nunca consegui fazer da malhação um hábito. Malhava três meses, parava um ano. Voltava, malhava mais quatro meses e parava de novo. E assim foram os últimos anos até hoje.

A boa notícia é que, depois de quase dois anos parada, eu comecei uma intensa pesquisa para voltar a dançar, que é o que realmente me dá prazer. Não foi fácil, mas eu estava focada. Acabei descobrindo a Espaço Balance, no Jardim Botânico: um pequeno estúdio dentro de uma escola. Resolvi fazer uma aula experimental de jazz com a professora Aretha Mello, que também dá aula de ballet clássico para adultos e crianças, e foi o suficiente para que eu me matriculasse no mesmo dia. Eu estava – e continuo – encantada!

E aí você deve estar se perguntando agora: “mas aonde ela quer chegar com isso?” Bom, eu explico: a gente fica tão absorvido pelos problemas e tarefas do dia a dia, que não nos damos ao trabalho de procurar uma atividade física que nos agrade de verdade. Na falta de tempo, acabamos recorrendo, quase que mecanicamente, à academia. Não estou criticando quem curte, mas eu não consigo me adaptar ao ambiente. Sempre me senti um peixe fora d água.

Então, se você é que nem eu, procure alternativas. Invista o seu tempo procurando atividades que cuidem não só do corpo, como também da sua mente. Encare como um momento para cuidar de você e desligar dos problemas.  Vai valer a pena.

3 thoughts on “Muito além do exercício físico

  1. Bruna, super me identifiquei com você!!! Mas sou apaixonada pelo ballet clássico mesmo heheh. Fiz quando era pequena, consegui voltar mais velha, agora parei de novo, mas vi que preciso dançar nem que seja sozinha no meu quarto de vez em quando! E encontrei no youtube uns vídeos com aulas de 40 min, são muito bons! Além disso, tô fazendo pilates e gostando bastante, minha professora é um amor e tô até com o abdômen mais definido heheh 😛 Mas realmente dançar é uma das melhores coisas e quem dança é bem mais feliz! 😀 Beijos!

    1. Oii, Laura, que máximo! Realmente, fazer uma atividade que a gente gosta faz toda a diferença, né? E a dança tem um efeito inexplicável na minha vida… Claro que tem coisas que contribuem além da dança em si, como a pessoa que dá a aula, por exemplo. E nesse quesito eu também dei sorte porque a minha professora tem uma baita paciência comigo. Fico feliz que você tenha se identificado com o artigo! haha Vou dar uma pesquisada nesses vídeos! Quem sabe não rende outro post? Valeu pela dica! Beijoss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *