Consumo mais consciente em 6 passos

Consumo mais consciente em 6 passos

Não há mais dúvidas de que o lowsumerism não é tendência, mas uma necessidade (urgente). Prova disso são os inúmeros documentários, matérias e livros sobre o assunto, que surgem como aliados para entendermos os porquês e identificarmos como podemos fazer a nossa parte para reduzir o consumismo desenfreado.

Para começar, explico para quem está um pouco por fora do assunto que aderir ao lowsumerism não é parar de comprar, mas sim encontrar formas de consumir de forma mais consciente. Confira abaixo seis dicas para aderir ao movimento:

1) Menos é mais.

Segure o impulso e faça compras inteligentes. Viu uma blusinha ok na promoção e está levando só porque está barata e não porque você se apaixonou, não compre. A chance dela acabar no fundo da sua gaveta após ser usada no máximo umas três vezes é ENORME. Além disso, ela pode custar pouco pra você, mas custou caro para o planeta, seja em gasto de água, energia e até mesmo com o transporte.

2) Vai comprar? Procure conhecer a origem das suas roupas e como foram feitas.

A matéria-prima e a forma como são produzidas podem dizer muito sobre as suas roupas. Não é de hoje que acompanhamos escândalos envolvendo trabalho escravo em fábricas de tecidos, roupas e acessórios de grandes corporações. Além disso, a indústria da moda é uma das mais poluentes, então saber a forma como as suas roupas foram produzidas podem te dizer o quanto elas contribuíram para a degradação do nosso meio-ambiente. E aí você pode escolher comprar das marcas que se preocupam em adotar práticas mais sustentáveis, pautadas no comércio justo.

 

3) Cansou da roupa ou ela não faz mais a sua cabeça? Doe a quem precisa e/ou venda em brechós, grupos no Facebook, no Enjoei. Uma outra alternativa bem legal é fazer bazar de troca com as amigas.

Muita gente fica na duvida se vende ou doa uma roupa. Eu acho isso uma escolha muito pessoal, mas na minha opinião uma coisa não anula a outra. É possível fazer ambos. Eu, por exemplo, costumo separar aquelas roupas que nunca ou pouco usei de lojas mais conhecidas para vender e o resto eu doo. Livros, por sua vez, vão sempre pra doação!

Uma coisa que eu acho importante abordar é para que você não fique constrangid@ em vender as suas roupas. Você pagou por elas, certo? Se acabou não usando por algum motivo, nada mais justo do que tentar reverter o prejú para ter o dinheiro para comprar algo que tenha mais a sua cara. Não há nada de errado nisso, ok? Não se culpe!

4)Ama a estampa, mas enjoou da peça? Customize! Transforme vestido em saia, saia em top, blusa em lenço, e por aí em diante.

Eu me considero uma pessoa ZERO jeitosa pra isso. Não sei costurar nem um botão, mas para quem gosta e leva jeito, isso pode ser muito útil e prático. Ah, e também tem sempre a opção de mandar para uma costureira.

 

consumo consciente

5) Transforme as roupas muito acabadinhas (lê-se furadas, rasgadas, com muitas bolinhas, manchadas, debotadas, etc) em paninhos de limpeza.

Ser sustentável tem a ver com otimizar recursos. Você provavelmente já comprou pano de chão pra limpar a casa, então porque não cortar os trapinhos e usá-los para este fim?

6) Precisa de uma roupa que vai usar uma vez na vida? Peça emprestado!

Formaturas, casamentos e festas de 15 anos estão aí para tirar o sono de muita gente. Isso porque as roupas para essas ocasiões são caríssimas e normalmente você quase não usa. Ou seja, o custo X benefício é bem ruim. No entanto, sempre vai ter aquela sua amiga que desembolsou uma quantia razoável para ter um look apropriado para alguma dessas ocasiões. Por que não pedir emprestado então? O único chato é que você tem que tomar MUITO cuidado, afinal, aquele vestido não é seu e você não vai sair arrastando o bumbum no meio da pista depois de beber todas, néam? Uma outra opção é você perguntar se alguém tem um de segunda mão pra te vender. É um negócio bacana pra ambos os lados e você ainda garante mais liberdade pra fazer o que quiser com ele.

 

2 thoughts on “Consumo mais consciente em 6 passos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *