6 leis básicas da arrumação, segundo Marie Kondo

6 leis básicas da arrumação, segundo Marie Kondo

marie-kondo
A fofinha da Marie Kondo

Quem me conhece sabe que eu sou muuuito bagunceira AND desorganizada. Nao é algo que eu me orgulho a dizer, e, por isso, sempre que dá vontade, eu faco um esforço descomunal para tentar mudar. Foi durante um desses lapsos que eu tive a ideia de comprar o guia ilustrado da mágica da arrumação “Isso me traz alegria”, segundo livro da japonesa Marie Kondo.

Na obra, a meste na arte de arrumar ensina a organizar a casa levando em consideração um ponto fundamental: a alegria que os objetos trazem para a sua vida. Ao se fazer essa pergunta, é possível decidir o que fica e o que será descartado. Além disso, Marie lista seis leis básicas da arrumação, que resumem o seu método. São essas:

1) Comprometa-se a arrumar

O método KonMari pode parece um pouco radical e, de fato, exige empenho, mas acredite em si mesmo e vá em frente  (#força);

2) Imagine o estilo de vida ideal

Pense no tipo de casa que quer morar e na maneira como deseja viver nela. Isso pode ajudar a te guiar;

3) Em primeiro lugar, termine o descarte.

Não guarde tudo sem se livrar de nada. Enfiar as coisas em qualquer lugar só para sumir com a bagunça aparente nao adianta, é uma arrumacao superficial.
O segredo da arrumação é, primeiro, terminar o descarte. Portanto, comece separando o que não quer mais seja para jogar fora mesmo, para doar ou até mesmo vender num brechó, sites de desapego, etc. Marie afirma que você só conseguirá planejar onde colocar as suas coisas quando tiver decidido o que manter e o que repassar, porque só então terá uma noção exata de quanto precisa guardar;

4) Organize por categoria, não por localização

Um dos erros mais comuns que as pessoas cometem, segundo Marie, é arrumar cômodo por cômodo. Essa abordagem não funciona porque elas acham que organizaram a casa quando, na verdade, apenas deslocaram as coisas de um lugar para o outro ou espalharam itens da mesma categoria pela casa, tornando impossível ter a noção exata da quantidade de coisas que, de fato, possuem.

A abordagem correta é arrumar por categoria. Por exemplo, quando ordenar a categoria roupas, o primeiro passo é juntar todos os itens de vesturário da casa inteira num único lugar. Isso permite ver se modo objetivo o quantidade de roupa que se tem. Diante da enorme montanha que se formar, você será forçado a reconhecer que não vem tratando bem os seus pertences.

5) Siga a ordem correta

É essencial não apenas organizar por categorias como também seguir a ordem correta, que é: roupas, livros, papelada, komono (que é a palavra que ela dá para “outros itens”, vulgos “cacarecos”) e, por fim, itens de valor sentimental.

6) Pergunte a si mesmo se aquele objeto lhe traz alegria

O critério para decidir o que manter e o que descartar é concluir se o item traz ou não alegria. Enquanto decide, é importante tocar o objeto. Segure-o firme com as duas mãos, como se conversasse com ele. Preste muita atenção à maneira como seu corpo reage no momento que você faz isso. Se algo lhe trouxer alegria, você sentirá uma leve emoção, como se as células do seu corpo estivessem acordando. Se não lhe trouxer alegra, você perceberá seu corpo ficar mais pesado.

Agora você me pergunta: “E aí, Bruna, mudou sua vida? O quarto está arrumado? A mesa do trabalho super organizada?” Confesso que ainda estou amadurecendo as ideias sobre tudo que aprendi para, quando começar, fazer tudo de uma vez só! Mas sei que estou no caminho certo :)

One thought on “6 leis básicas da arrumação, segundo Marie Kondo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *